CONTA LOGIN

Um ano trabalhando em casa – o que nós aprendemos?

Para a maioria dos gerentes de TI ao redor do mundo, já se passou um ano desde que a COVID-19 bagunçou tudo e eles precisaram enfrentar a situação dramática de migrar imediatamente escritórios inteiros para trabalhar em casa, com frequência pela primeira vez.

Muitas pessoas em funções de TI, que antes ficavam confortavelmente nos bastidores, foram colocadas sob um holofote incômodo. Os melhores administradores de TI são como os melhores juízes de futebol: o trabalho é complexo, mas se tudo correr bem a presença deles é discreta. No entanto, de repente, os líderes com os cargos mais altos em cada organização estavam pedindo que fizessem uma transição urgente para o trabalho remoto, mantendo a eficiência sem ameaçar a segurança.

O que eles aprenderam sobre o trabalho em casa ao longo desse primeiro ano?

Manter a segurança durante uma crise

Em muitos locais de trabalho, a pressa para colocar todo mundo para trabalhar significou que às vezes foi necessário dar um jeitinho. A política planejada foi aplicada adequadamente em todos os casos? Infelizmente, não houve tempo para verificar. Todas as pessoas que estavam trabalhando em casa usavam a versão mais recente do sistema operacional, com softwares totalmente atualizados e sem vulnerabilidades de segurança, e usavam apenas dispositivos da empresa para acessar a rede corporativa? É muito improvável.

Grande parte do trabalho após o choque inicial envolveu correr atrás do prejuízo, especialmente do ponto de vista da segurança. A pandemia forneceu uma oportunidade única para hackers e golpistas explorarem vulnerabilidades escancaradas e as empresas têm se esforçado para fechar as brechas o melhor que podem.

A migração para a nuvem na década anterior, por conveniência e eficiência, de repente tornou-se uma necessidade. Os administradores de rede não podiam mais garantir acesso aos servidores locais: precisavam de uma solução de acesso pela internet.

As empresas menores com frequência descobriram que seus sistemas de gestão de incidentes precisavam de uma atualização rápida, e não era mais possível simplesmente ir até onde estava o usuário. Portanto, o controle de área de trabalho remota tornou-se uma ferramenta essencial. De forma semelhante, escritórios que antes não viam a gestão de inventário como uma consideração especialmente importante perderam o controle de onde cada dispositivo estava e do que estava disponível como reserva.

Facilidade e flexibilidade

Para muitos gerentes de TI, o trabalho de monitorar atualizações de software, responder a incidentes e manter todos os dispositivos sem vírus e funcionando bem tem sido mais difícil do que deveria ser. Para outros, que já haviam configurado a gestão de endpoints na nuvem, a migração para o trabalho remoto praticamente não fez diferença. Nossos clientes Deep Freeze Cloud fizeram uma transição transparente e totalmente segura para o trabalho em casa, e durante o ano seguinte gerenciaram facilmente todos os endpoints em um único console intuitivo, incluindo gerar novas imagens de dispositivos com problemas a partir de qualquer local, sem necessidade de comunicação com um servidor de imagem.

Alfredo Cole, líder de TI na Mayan School, descreve sua experiência este ano, em que economizou 70% de sua base de custos anterior: ‘Nosso maior desafio era controlar o trabalho remoto, impedir mudanças não autorizadas e minimizar as paralisações devido a uso inadequado de executáveis, malware e vírus.

‘Se não tivéssemos implementado o Faronics Cloud, minha equipe certamente teria aumentado de 4 pessoas para 12, estaríamos lidando com problemas das 8h às 17h e eu continuaria com falta de pessoal. Os problemas voltariam a ocorrer e teríamos baixo nível de satisfação do usuário final. O Faronics Cloud comprovou que é uma solução sólida e confiável, e a equipe estava muito disposta a colaborar sempre que foi necessário. O relacionamento cliente-fornecedor foi muito próximo e muito satisfatório.’

Saiba mais

Para saber mais sobre como os clientes da Faronics administraram seus ativos de TI durante este ano, participe de nosso webinário em .

Sobre o autor

Tom Guy

Tom é consultor em tecnologia e faz parte do time de produto da Faronics em Londres. Possui experiência de mais de uma década em desenvolvimento de softwares. Quando não está trabalhando com tecnologia pode ser encontrado assistindo o Everton, seu time do coração, ou passeando com Eric, seu golden retriever.

Inscreva-se para um teste de 30 dias

BOXAE

Deep Freeze Enterprise

Centralized deployment and management as well as a host of configuration options for the Enterprise.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.
Entre em contato